Bar do Bitoco (texto para stand up)


Sair com os amigos do trampo é uma aventura.

Todo mundo quebrado e um rodízio de estabelecimentos bizarros.

Estes dias fomos no Bar o Bitoco e juro, tinha um torresmo que parecia a unha do Zé do Caixão. Aquele negócio envergado e uns pelos crocantes por cima. E para quem gosta mesmo...

Tipo a religião do Torresmo.

No boteco do Salsicha, o Hyago queria almoçar um ovo de codorna em conserva.

Juro, a água estava verde. Mas de acordo com ele, vinagre não estraga, vira vinho. Quando mais verde, mais puro.

O cara comeu pelos menos uns três. Aí, tem nego que não sabe porque ele vive no banheiro durante o expediente.

O pior foi lá na lanchonete Hot, "onde os canais adultos não tem senha", salsicha frita a vontade. Lá na quebrada não tem  slogan, lá é slogo memo.

Levemos o guardinha, o moleque é da quebrada, come como um servente de pedreiro.

No fim é aquela correria, mas ninguém passa fome.

por isso sempre é bom legar um di menor.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Hirto

Ósculo

Pax

Necrochorume

Tarsila e Pagu

Último respiro

Oniquito

Buddhyahaṅkāra

Canção do Exílio a Dom Bertrand