Necrochorume

O muro de onde escorre 
o caldo nutritivo da vida eterna
D'onde estão exilados 
miseráveis da vida terrena

Sob os fechados lábios da sabedoria 
e ouvidos do entendimento

Meu fúnebre cortejo irreparável 
natimorto de esperança,
moribundo pestilento 
arrastando-se na última peleja

Incrustado de ilusões, 
mentiras e traições...

Com o triste fim de Policarpo e Jasmim,
flores com cheiro de morte 
que brotam em meu jardim

Carregando, comigo, 

as licorosas frustrações desta vida



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Hirto

Ósculo

Pax

Tarsila e Pagu

Último respiro

Oniquito

Buddhyahaṅkāra

Canção do Exílio a Dom Bertrand