Necrochorume

O muro de onde escorre 
o caldo nutritivo da vida eterna
D'onde estão exilados 
miseráveis da vida terrena

Sob os fechados lábios da sabedoria 
e ouvidos do entendimento

Meu fúnebre cortejo irreparável 
natimorto de esperança,
moribundo pestilento 
arrastando-se na última peleja

Incrustado de ilusões, 
mentiras e traições...

Com o triste fim de Policarpo e Jasmim,
flores com cheiro de morte 
que brotam em meu jardim

Carregando, comigo, 

as licorosas frustrações desta vida



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ósculo

Pax

Hirto

Último respiro

Canção do Exílio a Dom Bertrand

Retambana de pesares

Prasãda