Genealogia dos fracos

O que salva-me são os poemas,
arte de traquinar com palavras avulsas
Lutando contra a genealogia dos fracos,
a democracia dos otários-manias

O que salva-me é a busca pela Ilíada,
epopeia rupestre, terrestre e duradoura
Lutando contra a organização dos fracos,
aborrecidos na confecção de tua moral

E no trinar dos dias, no dia da passagem da vida terrena,
os fracos esperarão afoitos e esperançosos a transcendência,
E se caso ela vier, acordarão como fracos em uma nova existência

E assim, a genealogia da moral do sindicato dos fracos,
continuará traçando regras contras as forças ativas em outras orbes

O que resta aos oprimidos é a arte d'onde o fraco jamais alcançai-vos.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Hirto

Ósculo

Pax

Necrochorume

Tarsila e Pagu

Último respiro

Oniquito

Buddhyahaṅkāra

Canção do Exílio a Dom Bertrand