Escatologia da Primavera

Estava-lá pálida, estática, boquiaberta
Muda, só resmungou quando ameacei ir embora
intimamente ligada ao meu "Eu" e calada
Aguardou, até o último suspiro,
as mágoas de quem nunca conheceu, de fato

Ingratidão, és sua simbólica figura
Insurreta, a espreita, fadada ao destino
Incrédula, nunca pensou ou teve fé
Afinal, nessas condições quem teria?

Dia após dia,
minutos após minutos
sacramento após sacramento
Fria, deixou a vida me  escoar

Nutrindo o carbono condensado,
fomentando novas vidas terráqueas
tecendo, sem receio, o minério

que esconde a gematria sagrada.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Hirto

Ósculo

Pax

Necrochorume

Último respiro

Tarsila e Pagu

Canção do Exílio a Dom Bertrand

Oniquito