Retorno a Pasárgada

Se ela fosse quenga,
na cama que sempre sonhei,
retornaria a Pasárgada
após a morte do rei.

Em Mazagão deixaria
vidas anteriores e
amores que nunca terei,
após a morte do rei.

Tifos e xisto,
na ânsia pela lança
dormiria na cama
que nunca me deitei

Retornaria a Pasárgada,
pois lá ajudaria a depor
Alexandre, o grande rei!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Hirto

Ósculo

Pax

Necrochorume

Último respiro

Tarsila e Pagu

Oniquito

Canção do Exílio a Dom Bertrand

Buddhyahaṅkāra