Lágrimas de matriarca

Indivisível, visível, risível.
Divisível, invisível, teu pranto.
Contudo, cinismo-ouvires.
Enraizado na erma-terra, interior.
Chorando, rindo, levando.
Apeironando tua megalomaníaca dor.
Teu corpo-cetim, objeto cunhado.
Aroma rupestre indomável e celeste.
Do cerrado ao agreste,
recordo-me das tuas lagrimas, vovó.
Quem sabe, um dia, pudêssemos,
Por um milésimo, nos vermos, sem dor!
Invisível ou visível, contentaria-me,
Sentir tua pele manchada por dor.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Hirto

Ósculo

Pax

Necrochorume

Tarsila e Pagu

Último respiro

Oniquito

Buddhyahaṅkāra

Canção do Exílio a Dom Bertrand