Ode Tupinambá

Propostas licorosas,
Metástases profanas,
Cachaça-bacana, ateu!

Rangendo o canto da boca,
O pitagórico soco grotesco, Teseu!

Há o nada.
Nadando em piscinas cristalinas
Da retina contida, tupinambá!

Do sangue escorrido,
Do choro contido,

Do falso refém...








Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pax

Ósculo

Necrochorume

Hirto

Último respiro

Canção do Exílio a Dom Bertrand

Retambana de pesares

Prasãda