Poetas e Porcos

Escrever é como atirar uma pedra,
na imensidão que divaga.
Perdendo tempo discutindo,
temas importunos...

Infiéis, cegos!
Inúteis, intelectuais!

Certos, só os porcos!
chafurdam no que acreditam,
e só param quando a fome saciam...

Enquanto alguns esperam Deus,
Outros chafurdam a lama...
Enquanto alguns filosofam,
Outros vivem a vã filosofia!

Na imensidão desta ironia,
encontra-se o poeta.

(ARCHANGELO, A. Ápeiron, Ed. Buriti, 2019)


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Hirto

Ósculo

Pax

Necrochorume

Último respiro

Tarsila e Pagu

Canção do Exílio a Dom Bertrand

Oniquito