Ofereço-te o nada

Como não tenho você,
Sinto-me, capaz de enganar.
Talvez...

Capaz de amar, eu?
Sem o colorido?
Sem o sentido?
Sem jóias?
E encantos?

Capaz de amar, eu?
Sem esquemas?
Sem esperanças?
Sem sonhos?
Nem expectativas?

Como não tenho você.
Ofereço-te o nada...

(ARCHANGELO, A. Ápeiron, Ed. Buriti, 2019)


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Hirto

Ósculo

Pax

Necrochorume

Tarsila e Pagu

Último respiro

Oniquito

Buddhyahaṅkāra

Canção do Exílio a Dom Bertrand