Primeiros poemas nonsense: Monólogo

Passo a passar no mesmo lugar,
do ponto inicial,
déjà-vu...

Obrigo-me a caminhar,
fingindo a arte de interpretar!

Não dizes o que pode?
Mas dizes o que gosta de ouvir!

A quem interessa essa diferença?


(ARCHANGELO, A. Ápeiron, Ed. Buriti, 2019)




Postagens mais visitadas deste blog

Hirto

Ósculo

Pax

Necrochorume

Tarsila e Pagu

Último respiro

Oniquito

Buddhyahaṅkāra

Canção do Exílio a Dom Bertrand